sexta-feira, 28 de março de 2008

Solidão




Faz tanto tempo, você estava aqui, me lembro bem como se fosse hoje. O teu sorriso envolvente, teu olhar penetrante e tuas mãos macias continuam vivos em mim, parece que ainda posso sentir toda essa energia. Eu era tão feliz que os problemas pareciam não existir, as dores eram mais amenas, a realidade não era tão cruel...
Hoje estou aqui novamente, no mesmo lugar. Nada mudou é verdade, apenas não sinto mais aquela felicidade. Me calei e fiquei preso neste silêncio insuportável que me sufoca e me prende de tal forma que mal consigo respirar. Descobri que isso chama-se solidão; e como ela é cruel Deus, como é cruel...
Tenho saudades do que nunca tive, e não sei o que encontrarei nesses caminhos da vida. O que sinceramente espero é ser feliz e capaz de contagiar todos ao redor com meu riso. Tenho tanta saudade...


Bruno Akimoto
27/03/2008


=]

Um comentário:

wellington portman disse...

adorei os pensamentos.... grandes reflexões... temos uma nova geração de escritores da qual ainda naõ foi descoberta, mas em breve seremos descobertos!

well

bru... sucesso cara!