quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Tinta escorrida



Estou tentando esquecer as coisas que não me fizeram bem, as pessoas que me magoaram e os conflitos que enfrentei. Estou sorrindo ao lembrar das piadas, dos momentos que tanto me fizeram bem e das pessoas que amei. Estou me desmanchando em cores de um quadro que não terminei de pintar, escorrendo pela tela lentamente feito lágrima no rosto de criança que perdeu o brinquedo que ama. Estou estático feito boneco de cera, apenas observando tudo ao meu redor, apenas absorvendo tudo e guardando em meu coração de plástico.
Já não tenho mais a certeza se me amas, não posso afirmar se me queres, tenho dúvidas se ainda me deseja. O que sou para ti é incerto. Me perdi, encontrei novos caminhos. Me esqueci, escrevi novos roteiros. Me odiei, busquei novos amores. Minha essência permanece a mesma, pois as coisas sempre são iguais. Já reparou que tudo acontece por igual mas de formas diferentes? Um dia de chuva nunca é igual ao outro, mas é algo conhecido por nós, afinal sabemos o que é a chuva. A dor de um amor também nunca é igual a outra, mas é sempre a mesma coisa e eu sempre estou vivendo dessas mesmas coisas sem me dar conta de que a ilusão de que o "amanhã" vai ser diferente, é em vão. O que muda são as sensações.
Eu não quero mais esperar nada para o meu futuro, apenas desejar. Mas logo questiono-me: Se desejo, também espero? Talvez não, pois há uma diferença entre desejar e esperar, mas isso é bem contraditório, afinal se desejo é porque estou esperando concretizar.
Permaneço aqui, nesta sala em que tu me deixaste ainda estático apenas obervando o movimento, sem poder fazer nada, sem poder falar nada, apenas te observando, vendo seus atos e morrendo por dentro e nada posso fazer, absolutamente nada! O silêncio me é corrosivo e desta forma vou definhando. Você não me olha, pois para ti tornei-me apenas um quadro feio de tinta escorrida.

Bruno Akimoto
30/12/2009

Feliz ano novo, e que venha um 2010 melhor...
Bruno Akimoto e Caio Polonini

Um comentário:

rafael disse...

Sem comentários...

você tem um potencial pra escrever que eu não consigo descrever...

Tenho orgulho de te-lo como irmao! =D

Te amo!